16
Set 09
publicado por Barbara Barroso, às 00:00link do post | comentar

“A força mais poderosa do universo é o juro composto.” Albert Einstein

 
Investir pensando no retorno obtido com juros simples ou juros compostos pode ser a diferença entre conseguir uma poupança e obter a sua independência financeira. Embora algumas pessoas tenham aprendido como se processa o juro composto, a verdade é que são poucas as que aplicam a filosofia dos juros compostos às suas finanças e, por isso, é sempre bom sempre relembrar. Para quem nunca ouviu falar está aqui uma oportunidade de começar a olhar para os seus investimentos de outra forma.
 
À partida pode parecer ousado dizer que o juro composto pode contribuir para a sua independência financeira, mas o que é certo é que esta foi uma das estratégias utilizadas pelo multimilionário Warren Buffett e está visto onde conseguiu chegar, simplesmente através dos seus investimentos. Buffett mantém-se no topo da lista dos homens mais ricos do mundo.
 
Basicamente, o juro composto consiste em acumular juros sobre juros, o que acabará por levar a que o capital aumente a cada período de juros. Assim mesmo que invista, por exemplo, 1000 euros no início, e não fizer mais reforços conseguirá obter um maior retorno do que se optar pelo juros simples. Isto porque, o juro simples é calculado apenas sobre o capital inicial, não existindo capitalização de juros.
 

Para compreender melhor o poder dos juros compostos veja na tabela como crescem 1.000€ ao longo do tempo, mesmo que não reforce mais o seu investimento. Ou seja, mesmo que não aplique mais dinheiro. Ao final de 25 anos, com o juro composto, já terá mais do dobro do que com o juro simples.  

 

  

Como crescem 1.000 euros a uma taxa de 7,5%
Anos Juros Simples Juros Compostos
5

1.375€

1.436€
10 1.750€ 2.061€
15 2.125€ 2.959€
20 2.500€ 4.248€
25

2.875€

6.098€
30 3.250€ 8,755€
35 3.625€ 12.569€

 

 

No gráfico é visível que, à medida que o tempo passa, a capitalização dos juros compostos faz com que o investimento se distancie do retorno dos juros simples. A partir dos 25 anos de investimento a diferença dispara.

 

 

A diferença entre o capital conseguido com juros simples e compostos é notória, como é visível no quadro e gráficos acima, e nem sequer há reforços. Agora imagine se ao capital investido inicialmente juntar o dinheiro da poupança mensal? A diferença será ainda maior.
 
Mas para compreender melhor a importância entre apenas poupar, e manter o dinheiro parado, e investir, veja a tabela em baixo. Se é daquelas pessoas que até faz uma poupança mensal mas não aplica o seu dinheiro, veja quanto não poderia estar a ganhar se o fizesse.
 
Com os juros compostos, no longo prazo, terá muito mais dinheiro. Por exemplo, ao final de 30 anos terá mais cerca de 100 mil euros do que se apenas poupasse e deixasse o dinheiro parado no banco. E para este caso nem sequer se está a descontar a inflação, porque se assim fosse, o dinheiro valeria menos ao longo do tempo.
 
 
Quanto terá se poupar 100 euros por mês?
De um lado quem opta por deixar o dinheiro parado, sem investir. Do outro quem investe os 100 euros mensais numa lógica de juros compostos (juro de 7,5%).
Anos Poupar sem investir Poupar e investir com juros compostos
5

6.000€

7.398€
10 12.000€ 18.004€
15 18.000€ 33.418€
20 24.000€ 55.819€
25 30.000€ 88.374€
30 36.000€ 135.687€
35 42.000€ 204.445€

 


Olá , queria felicitá-la pelo blog, e perguntar como e aonde fazer as ditas poupanças com juros compostos. desculpe a minha ignorância , mas sou muito leigo nestas questões e gostava de aplicar umas poupanças. Muito obrigado pela atenção
jorge fernandes a 30 de Setembro de 2009 às 13:24

Olá Jorge, obrigada pela sua participação. O princípio dos juros compostos pode ser aplicado a todo o tipo de investimento porque na realidade trata-se de reinvestir os ganhos obtidos com um determinado investimento, ou seja, não é exclusivo de nenhum produto específico.

Sejam acções, obrigações, fundos de investimento, depósitos, ou outros, o importante é que comece o mais cedo possível porque o tempo joga sempre a nosso favor. Claro que, quanto maior for a rendibilidade anual (descontada da inflação. Atenção que este ponto é importante!) melhor. Significa que mais rapidamente conseguirá entrar para o clube dos milionários.

Na prática, mesmo que não invista mais dinheiro, estará a capitalizar juros sobre juros. Por exemplo, se investir 100 euros, a uma taxa anual de 10%, terá ganho, ao final de um ano, 10 euros. Estes 10 euros são somados aos 100 euros iniciais e passa a ficar com 110 euros. no ano seguinte os juros já vão incidir sobre estes 110 euros e não sobre os 100 euros apenas. significa que, no segundo ano já estaria a ganhar 121 euros.
Agora imagine se além dos 100 euros iniciais começasse a investir 100 euros todos os meses? O crescimento é ainda maior e mais rápido. Espero ter sido clara. Obrigada

Bom dia...

Muito bom artigo sobre o poder dos juros compostos.

É impressionante como um pequeno esforço mensal conjuntamente com uma estratégia básica de rentabilização poderá representar entre ter ou não ter um vida financeira estável no futuro.
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Bom dia... <BR><BR>Muito bom artigo sobre o poder dos juros compostos. <BR><BR>É impressionante como um pequeno esforço mensal conjuntamente com uma estratégia básica de rentabilização poderá representar entre ter ou não ter um vida financeira estável no futuro. <BR><BR class=incorrect name="incorrect" <a>Montrou</A> claramente como todos o podem fazer... <BR>Parabéns
João a 27 de Julho de 2010 às 10:03

Olá, gostaria de saber se possível como poderei beneficiar dos juros compostos, gostaria de colocar um exemplo pratico. Por exemplo, se eu for ao banco e depositar 2000 euros na conta, tenho de pedir para colocar este dinheiro em regime de juros compostos ? a taxas a que dinheiro vai ficar a "render" é estipulada pelo bando? presumo que o banco oferece a menor taxa possível.

Com os melhores cumprimentos
Pedro Matias a 23 de Novembro de 2012 às 13:28

Os juros compostos funcionam como um aumento exponencial. Ou seja, o que está por trás é investir uma determinar quantia e depois o que ganha volta a reinvestir e assim sucessivamente.
Funciona com qualquer tipo de investimento. Por exemplo, se for a um banco colocar o dinheiro num depósito apenas o que tem de fazer é sempre que receber juros voltar a reinvestir os juros e o capital inicial. Assim se investir 1000 euros e ganhar, por exemplo, 30 euros o que tem de fazer é reinvestir os 1000 e os 30 também.
Barbara Barroso a 27 de Novembro de 2012 às 22:16

o livro

19 passos para sobreviver à crise
pesquisar neste blog
 
barbara barroso
Bárbara Barroso é jornalista do Dinheiro Vivo, o jornal digital de economia da Controlinveste (plataforma que engloba o DN, JN e TSF). Licenciada em Ciências da Comunicação e da Cultura, fez um Curso Intensivo de Banca, ministrou vários workshops sobre finanças pessoais, investimentos e orçamentos familiares e está a terminar uma certificação em em consultoria financeira pessoal (Certified Financial Planner – CFP), pela Universidade de Boston. Como jornalista foi coordenadora de economia do jornal i e redactora de finanças do Diário Económico, onde desenvolveu o suplemento de finanças pessoais deste jornal. Teve uma rubrica diária sobre poupança na rádio fi fm. Em 2009, lançou o seu primeiro livro: 19 Passos para Sobreviver à Crise. Em 2011 apresenta a sua segunda obra: Tempos Complicados, Soluções Simples - Saiba Como gerir Melhor o Seu Dinheiro.
ver perfil
Dúvidas e sugestões
Simuladores
Pode simular AQUI, quanto vai pagar de crédito à habitação.
Pode calcular AQUI quanto tem de poupar por mês.